top of page
Buscar
  • paolaalteriodi

Tudo o que deve saber sobre o “pé-direito” para não começar a sua decoração com o pé esquerdo


Hoje focamo-nos de novo num desses termos de arquitetura, engenharia e construção que tanto nos confundem: o pé-direito!


Pode parecer que não precisa de saber nada destes palavrões, e que essa tarefa cabe exclusivamente aos profissionais. Mas quem quer comprar ou construir uma casa vai ouvi-los várias vezes, precisando mesmo de conhecer o seu significado para poder interpretar os desenhos que lhe são apresentados, conseguir comunicar as suas aspirações ao arquiteto e adquirir produtos e serviços de forma informada.


Então, provavelmente já ouviu ou leu a expressão pé-direito várias vezes, mas será que sabe exatamente o que é, e qual a sua importância numa casa? Neste artigo vai encontrar a resposta a estas questões e muito mais. Acompanhe-nos!


O que é o Pé-Direito?


Chama-se pé-direito à distância (vertical) medida entre o pavimento (chão) e a parte inferior do teto, ou do forro do teto.


Não se sabe ao certo a origem do termo, mas a verdade é que uma medida tão simples é capaz de influenciar profundamente a habitabilidade de uma divisão ou de toda uma habitação.


Na prática qual é a importância do Pé Direito?


O pé direito tem uma importância muito maior do que aquela que muita gente pensa na definição do conceito da habitação e nas suas condições de habitabilidade. Se este for muito baixo o ambiente vai ficar mais apertado, aumentando não só a sensação de calor como a temperatura real, e diminuindo a sensação de abertura e arejamento dos espaços.


Um pé direito baixo também pode comprometer a utilização do espaço vertical, como na instalação de um candeeiro de lustre e impedir uma eficiente distribuição da luz no ambiente. Tudo isto se traduz numa falta de conforto acentuada!


Mas então, pergunta o leitor, qual é o pé direito adequado? O pé direito adequado é aquele que desejar e o faça sentir bem para garantir o conforto.


O pé direito duplo


O pé-direito duplo é um recurso que faz parte da história e esteve presente em grandes obras da arquitetura, como as catedrais do século XVIII.


Hoje, o pé direito duplo é utilizado sobretudo em casas com tetos muito altos ou com mais de um piso. Como o próprio nome indica, o pé direito duplo utiliza o dobro da altura do pé direito padrão para a restante construção. Neste caso todas as partes da casa têm dois andares, mas o compartimento com pé direito duplo ocupa todo o espaço dos dois andares, proporcionando uma integração plena entre os dois pisos da casa.


Nas construções modernas o pé direito duplo é muito usado em áreas mais sociais da casa, como a sala de estar, permitindo uma maior amplitude visual, um ar arejado, maior entrada de luz e, sobretudo, muito estilo.


Como aproveitar um espaço com um pé direito alto?


AMPLITUDE

O projeto fica mais elegante, especialmente com os grandes vãos de abertura e de janela, o que deixa o espaço mais iluminado, amplo e arejado.


MAIOR INTEGRAÇÃO

A tendência é que os ambientes que fazem parte do espaço com vão duplo fiquem mais integrados.


É importante criar um ambiente homogéneo entre o piso inferior e superior. Normalmente cria-se um mezanino, integrando verticalmente os ambientes. De cima, a preocupação é a vista do pavimento térreo. E, de baixo, é preciso ter atenção à escada, ao desenho do mezanino, entre outros detalhes.


É comum que no segundo pavimento estejam os ambientes de uso mais particular, como um living íntimo, ou home office, além dos quartos e closets.


DECORAÇÃO DIFERENCIADA

Aproveite para decorar as paredes duplas com revestimentos texturizados, papel de parede ou em 3D, além da possibilidade de amplas janelas e longas cortinas.


Pode ser muito interessante também aproveitar a parede mais alta para colocar uma lareira ou uma cortina sofisticada.


Outros elementos usados para aproveitar o vão são grandes quadros e painéis, ou outras peças decorativas.


Como resolver o problema de um pé direito baixo?


Como um pé direito alto ou duplo não é assim tão comum, achamos importantes deixar algumas soluções que podem ajudar a que, visualmente, os tetos pareçam mais altos, e as divisões mais amplas! Aqui ficam algumas dicas:


- Dê ênfase aos elementos verticais – é importante evitar chamar a atenção para a largura da divisão. Em vez disso, devem incluir-se elementos altos e estreitos, como ripas verticais nas paredes.


- Opte por iluminação embutida – esqueça os vistosos candeeiros pendurados do teto, já! Com isso apenas vai conseguir evidenciar como os seus tetos são baixos e acentuar a sensação de claustrofobia no espaço.


- Escolha cores bem claras para enfatizar a sensação de amplitude


- Ao colocar molduras nas paredes escolha uma altura pouco acima do sofá. Nunca as coloque a meio pois apenas vai fazer uma disrupção visual, como que partindo a parede a meio e tornando o espaço mais constrangido.


- Mobile o espaço com peças baixas para mostrar a maior parte das paredes, valorizando toda a altura destas. E decore com elementos em vidro que, pela sua transparência, não cortam a linha visual e não perturbam a sensação de profundidade e amplitude.


- Cortinas: estas devem ir do chão até ao teto ou, no máximo, ficar a cinco centímetros do chão.



Conheça o Atelier Bossa!


Somos uma empresa que atua na área de arquitetura, design de interiores e construção. Estamos inseridas no mercado há 3 anos e nossos principais objetivos são projetos na tipologia “chave na mão”, em que fazemos projetos de execução e remodelação total.


Para ver o nosso trabalho pode aceder ao nosso portfólio, no site do Atelier Bossa, ou às nossas redes sociais, como o instagram ou o pinterest onde publicamos alguns dos nossos projetos e sugestões.


Se quiser mais dicas, novidades, ambientes inspiradores e muitos conteúdos, acompanhe o nosso trabalho nas redes sociais.










8 visualizações0 comentário
bottom of page